No meu interior tem Deus

Sábado, 8 de Setembro de 2012

Façam o favor de ser felizes

«Posso ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes, mas não me esqueço de que a minha vida é a maior empresa do mundo. E que posso evitar que ela vá à falência.

Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver, apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise.

Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e tornar-se autor da própria história.

É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar um oásis no recôndito da sua alma.

É agradecer a Deus, a cada manhã, pelo milagre da vida.

Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos. É saber falar de si mesmo. É ter coragem para ouvir um «não». É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta».

 

Augusto Cury, «Dez leis para ser feliz».

publicado por Padre João Pires, Pároco dos Altares e Raminho às 19:20
| comentar
Domingo, 2 de Janeiro de 2011

As duas moedas

Certo dia um vendedor encontrou-se com um mendigo cheio de fome. Compadeceu-se dele e deu-lhe duas moedas.

Algum tempo depois, os dois homens voltaram a encontrar-se nos arredores do mercado. O vendedor perguntou-lhe:

- Que fizeste com as moedas que te dei?

O mendigo respondeu:

- Com uma delas comprei pão, para ter com que viver. Com a outra, comprei uma linda flor, para ter porquê viver.

Para viver necessitamos de pão que nos alimenta o corpo, mas também daquilo que a flor simboliza, o alimento para o espírito.

Nem só de pão vive o homem. O homem também necessita de outras coisas que não se encontram no supermercado: a esperança, a coragem, o amor, a solidariedade, o perdão, o carinho.

As flores que colocamos sobre a mesa estão a recordar-nos que não basta existir. É necessário viver segundo os valores tão belos de Jesus Cristo, nosso Senhor.

(Autor desconhecido)

publicado por Padre João Pires, Pároco dos Altares e Raminho às 21:33
| comentar
Quarta-feira, 10 de Novembro de 2010

O Burro e o Lavrador

Havia um lavrador dono de um burro que caíra a um poço. O animal zurrou fortemente durante algumas horas, enquanto o dono procurava ajuda para o retirar. Não a encontrando, acabou por decidir que, sendo o burro já velho e estando o poço já seco, o melhor era tapar o poço, não valendo a pena tirar o burro.

Convidou então todos os vizinhos para o ajudarem. Cada um pegou numa pá e começaram a atirar terra para dentro do poço. O burro, ao ver o que se estava a passar, começou desesperadamente a zurrar. Mas, pouco depois, para surpresa de todos, calou-se, e só se ouvia o som das pazadas a cair. O aldeão, olhando para o fundo do poço, ficou surpreendido com o que o burro estava a fazer. Sacudia a terra que ia caindo nas costas e dava mais um passo para cima da terra. Todos viram com espanto como o burro chegou ao cimo do poço, saltou para fora e… foi-se!

A vida vai-te atirar muita terra para cima, terra de todos os géneros. O segredo para saíres do teu poço é sacudi-la e usá-la para dares um passo para cima. Cada um dos nossos problemas é um degrau para subir. Assim, podemos sair dos vazios mais profundos, se não nos dermos por vencidos… Usa a terra que te atiram, para caminhares em frente.

(Autor desconhecido)

publicado por Padre João Pires, Pároco dos Altares e Raminho às 01:06
| comentar

Tradutor

posts recentes

Façam o favor de ser feli...

As duas moedas

O Burro e o Lavrador

Juventude e religião

CONTADOR


Contador Grátis

Oração do amigo- Gabriel Chalita

Banda Dominus Padre Fábio Ivete Sangalo Não estou sozinho

links

A autoridade é para servir - Pe. Fábio de Melo

A Paz Pe Fabio de Mello e Roupa Nova 30 anos Oficial

Viver Pra Mim É Cristo - Padre Fábio de Melo

SÓ DEUS BASTA